Comunidades Crianças Família Jovens

“Deixar-se transformar pelo Amor” – Mariápolis da Madeira 2019

Mariapolis_Madeira_2019_1
Mariapolis_Madeira_2019_2
Mariapolis_Madeira_2019_3
Mariapolis_Madeira_2019_4
Mariapolis_Madeira_2019_5
Mariapolis_Madeira_2019_6
Mariapolis_Madeira_2019_7
Mariapolis_Madeira_2019_8
Mariapolis_Madeira_2019_9
Mariapolis_Madeira_2019_10
Mariapolis_Madeira_2019_11
Mariapolis_Madeira_2019_12
Mariapolis_Madeira_2019_13
Mariapolis_Madeira_2019_14
Mariapolis_Madeira_2019_15
Mariapolis_Madeira_2019_16
Mariapolis_Madeira_2019_17
Mariapolis_Madeira_2019_18
Mariapolis_Madeira_2019_19
Mariapolis_Madeira_2019_20
Mariapolis_Madeira_2019_21
Mariapolis_Madeira_2019_22
Mariapolis_Madeira_2019_23
Mariapolis_Madeira_2019_24
Mariapolis_Madeira_2019_25
Mariapolis_Madeira_2019_26
Mariapolis_Madeira_2019_27
Mariapolis_Madeira_2019_28
Mariapolis_Madeira_2019_29

Com o tema “Deixar-se transformar pelo Amor”, realizou-se no fim-de-semana de 13 e 14 de julho, no convento de Santa Clara no Funchal, a Mariápolis, na Madeira, participada por 70 pessoas.

Para sabermos como foi, nada melhor do que dar voz aos participantes através de duas impressões:

“Fruto de um trabalho conjunto, o empenho revelado e a unidade que tem sido construída ao longo destes anos entre todos, a Mariápolis no Funchal foi um sucesso como laboratório de fé e fraternidade.

Sentiu-se a presença do Carisma do ideal de Chiara, neste ano do Espírito Santo, sendo o amor reciproco o “cimento” que une e fortifica cada tijolo da Igreja que somos todos nós.

Num programa diversificado e bem organizado, com espaços de reflexão profunda, dinâmicas de grupo, jogos, canções e partilhas, os dons de cada um foram agregados num bordado conjunto, elevados pela sua complementaridade e unidade. A beleza deste bordado, brilhou também no MARIAPOLITAL (a festa da Mariápolis), que a dinâmica final da criação de uma “rede” entre todos, concluiu com excelência. Cada um teve a oportunidade de partilhar o que mais sublinhava destes dois dias (desenrolar do fio do novelo) e qual o maior propósito na caminhada da sua vida (recolha do fio do novelo), reforçando a noção de “rede-unidade”, de união e de apoio conjunto.” 

E:

“A Mariápolis foi um repensar na forma como vivemos, como nos deixamos levar pelo Espírito Santo, como confiar nele e a importância fundamental da oração.”

Destaca-se, ainda, a presença do Bispo do Funchal, D. Nuno Brás, e do Bispo emérito D. António Carrilho.

Em jeito de conclusão, a equipa organizadora da Mariápolis refere: “Realçamos e agradecemos o empenho de todos os participantes que construíram, com tanta beleza, este nosso encontro anual.”