Comunidades Humanidade

Oração pela Unidade dos Cristãos, um momento de alegria entre irmãos

sala1580320239067
sala 31580320239067
apresentação JpE1580320239065
IMG_35391580320239056
IMG_35691580320239062
IMG_35661580320239061
IMG_35321580320239055
foto incio oração1580320239066
conversas 31580320239065
conversas1580320239066
IMG_36371580320239063

Oração pela Unidade dos Cristãos
Um momento de alegria entre irmãos,
fruto da presença de Jesus no meio de nós

Em plena semana e depois do trabalho, foram muitos os que se reuniram no dia 22 de janeiro na Capela das Amoreiras, um Centro Comercial de Lisboa, para um momento de oração pela unidade dos Cristãos.

No âmbito da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, o acontecimento foi proposto pelo “Juntos pela Europa” (em Portugal, até agora, formado apenas por Movimentos da Igreja Católica), mas foi preparado juntamente com membros das Paróquias de S. Tomé e S. Mateus, da Igreja Lusitana, da Comunhão Anglicana.

“A experiência de unidade começou logo no primeiro encontro de preparação”, conta um dos elementos da equipa que organizou este momento, e continua: “Delineou-se o programa e tivemos a noção de estar diante de um novo passo. Através do respeito e do amor recíproco, foi crescendo a comunhão entre nós, evidenciada pela troca de muitos e-mails, para pôr à consideração de todos as várias intervenções e pormenores do desenrolar do programa.”

Com a presença de mais de 100 pessoas das duas Igrejas, após uma breve apresentação do Juntos pela Europa e de um momento comemorativo do Centenário do nascimento de Chiara Lubich que se celebrava naquele mesmo dia, iniciou-se o momento de oração, com a participação de um sacerdote Católico e uma presbítera da Comunhão Anglicana.

Tocou-se o âmago de um caminho de comunhão, houve quem se sentisse arrepiado, olhares humedecidos, sorrisos multiplicados e, comenta um dos participantes: “ Sentiu-se aquele ardor no coração quais discípulos de Emaús.”

No final, as saudações, as manifestações de estima recíproca, as trocas de impressões pintadas de sorrisos prolongaram-se como a parte 2, um novo encontro. A felicidade vivida era palpável nos rostos iluminados pela alegria de nos sentirmos um.

Quase como a querer perpetuar a experiência, continuou a troca de e-mails:
“(…) Os momentos vividos vieram ao encontro das palavras de Jesus: “Que sejam um só”. Só assim faz realmente sentido que há Um só Senhor, uma só fé e um só amor! Juntos caminhamos com o mesmo propósito de testemunhar e viver o Evangelho”.
“(…) sabe a pouco (…). Seremos capazes de ousar mais e promover mais iniciativas ecuménicas durante o resto do ano?”.

Na celebração leu-se a experiência do Apóstolo Paulo a chegar a Malta como náufrago. Foi nesse contexto que escreveu “Trataram-nos com invulgar humanidade” (At 28, 2), expressão que foi o lema desta Semana de Oração.

Em jeito de conclusão sublinhou-se: “Também nós podemos dizer que “fomos tratados com invulgar humanidade” numa experiência que gerou uma rede fecunda em nós de comunhão.”