Humanidade

O Papa e o ato de consagração ao Imaculado Coração de Maria

No dia 25 de março, o Papa Francisco consagrará a Rússia e a Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria. Esta súplica insere-se na oração conjunta que será feita no mundo pela paz e acompanha a grande rede de solidariedade à qual também os membros do Movimento dos Focolares aderiram.

No dia 25 de março, na solenidade da Anunciação do Senhor, pelas 17h30 (hora de Lisboa), o Papa Francisco, na Basílica de São Pedro no Vaticano, consagrará toda a Humanidade, em particular a Rússia e a Ucrânia, ao Imaculado Coração de Maria. Segundo a tradição católica, com este ato confia-se à Mãe, e por sua intercessão a Deus, cada pessoa da Terra, em particular aqueles que sofrem hoje devido à guerra.

“A Igreja”, escreve o Papa aos bispos do mundo inteiro, os quais convida a participar do ato, “é fortemente chamada a interceder junto do Príncipe da paz e a estar próxima dos que pagam as consequências do conflito com o próprio sangue”. Porque a guerra é uma derrota para todos. Com a guerra, perde-se tudo. Portanto, continua o Papa, “acolhendo inclusive numerosos pedidos do Povo de Deus, desejo confiar as Nações em conflito de modo especial a Nossa Senhora”. Este ato “quer ser um gesto da Igreja universal, que neste momento dramático leva a Deus, por meio da sua e nossa Mãe, o grito de dor daqueles que sofrem e imploram pelo fim da violência, e confia o futuro da Humanidade à Rainha da paz”.

O Movimento dos Focolares, presente em mais de 180 países, portanto também em muitos lugares nos quais ainda estão a ocorrer conflitos e guerras, adere ao apelo do Papa.

A presidente do Movimento dos Focolares Margaret Karram, que esteve em Assis alguns dias atrás, juntamente com o Conselho Geral do Movimento, reunido na “cidade da paz” para alguns dias de retiro, invocou a oração pela paz universal: “Nós Te pedimos com a fé que move as montanhas, que ‘cesse o fogo’ da guerra e que vença o diálogo ‘na busca de caminhos de paz’ entre a Rússia e a Ucrânia. Pedimos a graça de cessar todos os conflitos em curso, especialmente os mais esquecidos”.

Desde 1991 – durante a guerra do Golfo – as comunidades do Movimento dos Focolares unem-se diariamente numa oração comum pela paz, no Time-out cotidiano às 12h00 de cada fuso horário, onde cristãos de diversas Igrejas, fiéis de várias religiões e pessoas de boa vontade param durante um minuto e ficam em silêncio ou fazem uma oração para pedir pela paz e focar-se, novamente, no empenho pessoal de construí-la onde estiverem.

Recorde-se que neste mesmo dia, há 38 anos, o Papa São João Paulo II consagrou o mundo ao Imaculado Coração de Maria, diante da imagem da primeira escultura de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, que se venera na Capelinha e que se deslocou ao Vaticano nessa ocasião.

A 25 de março de 2020, o cardeal D. António Marto consagrou Portugal e Espanha, e mais 22 países, ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria, pedindo auxílio e proteção para os tempos de pandemia.

A primeira consagração de Portugal ao Imaculado Coração de Maria aconteceu a 13 de maio de 1931.

Recorde-se, ainda, que foi em Fátima, na aparição de junho de 1917, que Nossa Senhora apresentou o seu Coração Imaculado como «refúgio e o caminho que […] conduzirá até Deus.» De novo, em julho, reafirma e propõem a consagração ao seu Coração Imaculado como meio de conversão e reparação. A devoção ao Coração de Maria torna-se, nomeadamente com o pedido de consagração da Rússia, expressão da presença de Deus que acompanha o drama da história dos Homens. 

Na sexta-feira, 25 de março 2022, ao mesmo tempo que o Papa pronuncia no Vaticano o ato de Consagração, em Portugal, o cardeal Konrad Krajewski, enviado pelo papa a Fátima, fará o mesmo ato na Cova da Iria, em Fátima, para juntos implorarem pela Paz.

Link para acompanhar o ato de consagração ao vivo

Texto do ato de consagração ao Imaculado Coração de Maria em várias línguas

Fonte focolare.org e fatima.pt